quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012



Essa é uma compilação de informações contando um pouco da história da Suzuki Hayabusa...

Eu posso falar com propriedade sobre a Suzuki Hayabusa... possui 2, uma 2011 e agora uma 2012... fiz viagens incríveis pilotando a "Busa", numa delas fui de Minas Gerais a Buenos Aires/Argentina rodando 6.500kms em 15 dias, é uma máquina perfeita e admirada em todo mundo... ou melhor idolatrada como podemos ver se pesquisarmos o nome hayabusa no Google ou Youtube. Aqui a história da Suzuki Haybusa que é bem legal...




1.O nome Hayabusa

Hayabusa é o nome dada a um falcão peregrino japonês. Este pássaro muitas vezes serve como uma metáfora para a velocidade, pois quando ela caça ele entra em mergulho vertical e pode inclinar-se a velocidade de 180 a 240 milhas por hora (290-390 Km/h), o mais rápido que qualquer ave no mundo. O nome foi usado denominar a Hayabusa Mansyu, 1930, um avião japonês. Também recebeu a denominação o trem Hayabusa (expresso de Tóquio para Kumamoto). A Motocicleta Hayabusa foi nomeado em 1999 com o intuito de destituir a Honda Super Blackbird do trono de moto mais rápida do mundo da produção até então.


Comercial da Suzuki Hayabusa - 1.a Geração


2.Introdução

A Suzuki Hayabusa (ou GSX1300R) foi a primeira motocicleta hyper sport produzida pela Suzuki, a partir de 1999.



Após tão esperada, e com antecipação, surge a Kawasaki Ninja ZX-12R modelo 2000, porém por uma velocidade máxima inferior a 6Km/h, a Hayabusa garante seu lugar como a motocicleta de produção normal mais rápido do século 20.
Em 2000, os temores de uma folga regulamentar europeu ou proibição de importação levam a um acordo informal entre os fabricantes japoneses e europeus para administrar a velocidade máxima de suas motocicletas em um limite arbitrário. Isto faz com que o título da Hayabusa, pelo menos tecnicamente, permaneça inatacável, uma vez que nenhum modelo posterior poderia ir mais rápido sem ser adulterada.




O modelo do ano 2000 e as posteriores Hayabusas, bem como a sua concorrência, são limitadas eletronicamente a 300 km / h (186 mph ). O modelo 1999 permanece irrestrita, valorizando-a ainda mais para os amantes e os colecionadores.
Testes de velocidade da motocicleta, especialmente em altas velocidades, são propensas a variação devido ao erro humano, limitações do equipamento, fatores atmosféricos como o vento, umidade e altitude. Os resultados publicados em dois testes de outro modo idêntico pode variar dependendo se o resultado é apresentado com ou sem fatores de correção padrão calculados da indústria para compensar as condições de ensaio. Erros de arredondamento são possíveis, bem como na conversão de milhas para quilômetros por hora. Os números de potência e torque variam inevitavelmente por motivos semelhantes.



Além de sua velocidade, a Hayabusa, foi elogiado por muitos críticos para o seu conjunto all-around performance. Issso que dizer que a Hayabusa possui outras qualidades, como manuseio, conforto, confiabilidade, o ruído, economia de combustível além do preço praticado.


3.Primeira Geração (1999-2007)

Quando foi exibido pela primeira vez à imprensa em 1999, os representantes sugeriram a motocicleta Suzuki uma nova categoria: "Ultimate Sport". So que a categoria não pegou, pois a categoria hiper-sport provou ser suficientemente descritiva. A Hayabusa superou o modelo de produção anterior de recorde de velocidade (Honda Blackbird) por uma margem de 10 a 14 mph (16 km a 23 / h).



A primeira geração tinha 1.299 centímetros cúbicos, refrigeração líquida, motor 4 cilindros em linha com dezesseis válvulas conduzido por duplo comando no cabeçote. Esta configuração, tecnologicamente normal para a época, emitiu um recorde de 173 cavalos de potência (129 kW) no virabrequim, em virtude da maior cilindrada sempre em uma moto esporte, e RAM Air que forçava a entrada ar fresco para dentro dos cilindros.
Juntamente com a aerodinâmica sofisticada, este poderoso motor empurra a Hayabusa a uma velocidade superior acima da Honda Super Blackbird por um salto impressionante, contrastando com os ganhos incrementais que precedeu a entrada Suzuki na categoria Hper Sport. Antes da Honda Blackbird, o topo de velocidade máxima pertencia a Kawasaki Ninja ZX-11 de 1990.



Uma característica distinta do motor Hayabusa foi a sua performance de torque em baixa. Em comparação com a CBR1100XX e a ZX-11, a forma dos gráficos de potência se assemelha os três motores, mas a Hayabusa diverge torque gráfico dos outros dois no início do intervalo do RPM e fica bem acima deles dos 3000 até os 9000 rpm.




Os dutos do RAM Air encontram-se na frente, caídas, formando um nariz arredondado e esprimido na área frontral longe do farol. Isso, juntamente com anecessidade de uma estreita zona frontal, exigiram um formato de farol empilhado e atrás de uma única lente. Além disso, a necessidade de reduzir o arrasto extremo encontrado em altas velocidades foram determinantes para a introdução da bolha. Esta forma aerodinâmica foi fundamental para que a Hayabusa pudesse alcançar o recorde de velocidade numa moto de linha de produção.

O motor utilizado uma engrenagem movida por um contra balanceador para reduzir a vibração ao ponto que o motor poderia ser solidamente fixado ao quadro e com a finalidade de aumentar a rigidez do chassis.
Empregando um quadro de duplo feixe convencional, garfos upsidedown totalmente ajustáveis, utilizando pneus Bridgestone especialmente desenvolvidos para ela, e ser relativamente leve (215Kg - seco), a condução da Hayabusa foi considerado excelente para uma máquina desta classe.

Outros Desenvolvimentos

Após a inclusão do sistema de limitação de velocidade em 2000, a Hayabusa é substancialmente a mesma até o ano modelo 2007. Uma exceção foi uma resposta ao problema do subchassi traseiro em alumínio dos modelos 1999 e 2000. Houve relatos de quebra do subchassi quando a moto tinha sido sobrecarregados com passageiros e/ou bagagem. Em 2001 nas Hayabusas fabricados posteriormente utilizavam aço em vez de subchassi traseiro de alumínio, acrescentando 4,5 kg no seu peso.



4.Segunda Geração (2008 - até o momento)


A concorrência no mercado Hyper Sport Bike aumentou com alguns lançamentos, como a Kawasaki Ninja ZX-14 e
BMW K1200S. Este aumento da concorrência levou à revisão da Suzuki GSX1300R para o ano modelo 2008, entregando um grande aumento de potência por ajuste fino da cabeça do motor, pistões e escape.




O Planejamento para a evolução

Em 2004, pesquisadores de mercado e os E.U. Japão começaram a trabalhar para identificar quais elementos do projeto Hayabusa haviam atraído para muitos compradores. Descobriram que, apesar de ter a sua aparência por vezes desacreditada na impressão, os clientes eram muito apaixonados com o olhar da velha Hayabusa.




A reformulação visava reforçar a aparência, sem se afastar muito aprovação encontrada quando apresentou os
grupos focados. Debaixo da pele, a Suzuki decidiu poupar o considerável custo de desenvolvimento, mantendo grandes porções do quadro e motor inalteradas. Os Engenheiros determinaram que era possível uma maior potência sem um redesenho significativo do antigo motor, mesmo confrontado com a necessidade de cumprimento mais rigoroso de ruído e as regras da poluição atmosférica.



A meta era produzir no virabrequim mais de 190 cavalos, também entregar um aumento percentual reivindicado de 11 ou 12% totalizando de 194 cavalos (145 kW). O design da nova Hayabusa foi feito por Koji Suzuki Yoshirua, que tinha anteriormente desenhado a primeira geração Hayabusa, bem como a Suzuki Bandit 400, RF600R, TL1000S e SV650.




Enquanto a segunda geração está muito próxima da primeira, em forma global, ela foi em grande parte ditada por testes
de túnel de vento. As novas linhas curvas levantadas destinam-se a sugerir uma construção muscular. Yoshirua disse: "Eu queria criar uma forma masculina que complementa a estrutura muscular um cavaleiro com dicas de bíceps, antebraço e panturrilhas desenvolvidas."



As Revisões Técnicas para o novo modelo

As mudanças no motor foram um aumento de curso em 2mm, ampliando o deslocamento total para 1.349c.c. A taxa de compressão passou de 11:1 para 12.5:1 e o cabeçote do cilindro foi feito mais compacto e leve, ganhando também válvulas de titânio, salvando 14,1 gramas e 11,7 gramas em cada válvula de admissão e escape. As vávulas agora são impulsionadas por uma corrente com um novo tensionador hidráulico.



Houve revisão dos suspensões, utulizando Kayaba com garfo invertido de 43mm e suspensão traseira revista e reforçada em relação ao modelo anterior.

O combustível agora é injetado através de um novo corpo de borboleta de 44mm, usando o Suzuki Dual Throttle Valve (ou somente SDTV). O sistema de seleção do modo de pilotagem (chamado de Suzuki Drive Mode Selector, ou simplesmente S-DMS) , uma tecnologia introduzida na linha GSX-R, permite escolher entre três opções de entrega de potência: conforto (touring), normal e esporte (high performance).



Uma das características mais notáveis é a inclusão de um novo sistema de exaustão 4-2-1-2, que cumpre as exigências das regulamentações de emissão de gases EURO3 e EPA Tier 2, um sistema de embreagem deslizante, uma carenagem redesenhada, os piscas traseiros também foram incorporados à traseira da motocicleta, para melhoria da aerodinâmica.



Apesar da velocidade máxima, uma das características mais marcantes do modelo, ter sido limitada eletronicamente em 320km/h, a aceleração está mais rápida, mesmo comparada aos carros mais rápidos do planeta: de 0 a 160km/h em 5.44s.



Alterações ergonômicas e estéticas no modelo 2008 incluem uma bolha maior, nos mostradores o indicador de novos equipamentos, além da mudança de luz ajustável. Melhorias técnicas incluem novas pinças Tokiko radiais. A pinça de freio traseiro foi delsocado para a parte superior do disco e as novas rodas de 17 foram projetadas para utilizar os Bridestone BT-015 radias tomadas quase que diretamente da GSX-R 1000.



Outras mudanças foram um amortecedor de direção com um reservatório e duas ventoinhas de refrigeração com um grande radiador, agora curvo.

Em 2013 o modelo sofreu um refinamento técnico com a adição de freios ABS e pinças de freio da marca BREMBO.


Vendas

Desde sua estréia em 1999 até Junho de 2007, mais de 100.000 unidades de Hayabusa foram vendidas ao redor do mundo. Nos Estados Unidos, durante o ano de 2005 mais de 10.000 unidades foram vendidas.



Para 2006 no mercado estadunidense as vendas da Hayabusa foram em número dobrado às vendas da Kawasaki Ninja ZX-14, que começou a ser vendida nesse ano. E novamente, no ano de 2007 as vendas do modelo Hayabusa somaram 10.000 unidades somente nos EUA.



Em geral, as vendas nos EUA foram crescendo ano após ano desde o lançamento em 1999 até 2006 sendo de poucas milhares de unidades a mais de 10.000 em 2006. Não há informações de vendas globais fornecidas pela própria Suzuki ou pelas revendedoras regionais.




Outros vídeos interessantes da Hayabusa:








Confraria da  Hayabusa:

http://www.confrariadahayabusa.com.br

Veja também...


Até o próximo post... abrassss

Um comentário:

  1. Nossa, que moto maravilhosa! E esse vídeo? Que loucura cara...

    ResponderExcluir